ÁGORA ÁRTICO-ATLANTICA

Cooperação intersetorial para o restauro de ecossistemas marinhos e costeiros e o aumento da resiliência climática através da inovação transformadora

Demonstrador Português

Região Centro de Portugal

O A-AAGORA será um sinal luminoso da proteção e restauro dos ecossistemas e da biodiversidade nas zonas costeiras do Ártico e do Atlântico.

O Demo-PT inclui as zonas húmidas costeiras classificadas na Convenção de Ramsar e na rede Natura 2000, que suportam atividades económicas, culturais e recreativas, incluindo as relacionadas com o turismo, pescas e atividades marítimas (e.g., 3 portos de pequena/média dimensão). 

O impacto destas atividades, aliado aos efeitos das  alterações climáticas, traduzem-se em múltiplas pressões nos habitats naturais, incluindo a erosão costeira.

Living Lab como método

Utilizamos uma abordagem de living lab enquadrada na região da Ria de Aveiro, onde identificamos soluções e medidas em conjunto com empresas, administração local e regional, organizações e cidadãos. A investigação e desenvolvimento na Ria de Aveiro assentará num procedimento em que concebemos, testamos, monitorizamos e validamos as soluções que são propostas para gerir esta região costeira. Uma parte importante deste trabalho é a capacitação para monitorização local e envolvimento dos cidadãos. Além disso, as soluções devem poder ser alargadas a toda a área de demonstração, a zona costeira da Região Centro (Demo-PT), bem como a outras zonas costeiras.

Uma abordagem de living lab significa que as medidas a serem testadas e monitorizadas também podem ser alteradas durante o período do projeto, à medida que aprendemos o que é melhor para a zona de demonstração.

Principal foco da DEMO PT

A Região Centro de Portugal compõe-se de diversas paisagens, incluindo zonas húmidas costeiras classificadas na Convenção de Ramsar e na rede Natura 2000. A localização da região é propícia a atividades económicas, culturais e recreativas relacionadas com o turismo, a pesca e as atividades marítimas. As pressões resultantes destas atividades, combinadas com as pressões das alterações climáticas, traduzem-se em múltiplas pressões nos habitats naturais (erosão costeira). Esta demonstração mostrará como a gestão baseada em ecossistemas e as soluções baseadas na natureza  podem promover a descarbonização dos setores marítimo e turístico, apoiar intervenções de defesa costeira, restaurar a biodiversidade com voluntários, aumentar o crédito de carbono para a mitigação de pressões e melhorar resiliência, tudo em linha com o plano estratégico regional.

Mitigação das alterações climáticas

A descarbonização através da substituição parcial de combustíveis fósseis por combustíveis avançados baseados em resíduos pode contribuir para atividades turísticas sustentáveis e para a forma como pequenas áreas portuárias podem reduzir as emissões de Gases de Efeito de Estufa. 

Resiliência à erosão costeira

A inovação tecnológica para a adaptação às alterações climáticas à erosão costeira pode fornecer serviços de previsão ou em tempo real que estarão disponíveis em aplicações web para as comunidades costeiras. 

Biodiversidade marinha

Aplicar a Gestão baseada em Ecossistemas como um princípio para gerir e construir a resiliência climática e a riqueza da biodiversidade, e para mitigar as pressões antropogénicas tendo unidades de substrato artificial baseadas na natureza para a restauração da biodiversidade.  

Equipa da Demo PT

Voltar ao topo